O interesse crescente dos consumidores pelos problemas da segurança alimentar e pelas questões ambientais tem contribuído para o desenvolvimento da agricultura biológica nos últimos anos.

A agricultura biológica distingue-se de outros sistemas de exploração agrícola em diversos aspectos. É dada preferência aos recursos renováveis e à reciclagem, devolvendo-se aos solos os nutrientes presentes nos resíduos. No respeitante à pecuária, a regulamentação da produção de carne, incluindo de aves de capoeira, dá especial atenção ao bem-estar dos animais e à utilização de alimentos naturais. A agricultura biológica respeita os mecanismos ambientais de controlo de pragas e doenças, na produção vegetal e na criação de animais, evitando o uso de pesticidas sintéticos, herbicidas e fertilizantes químicos, hormonas de crescimento, antibióticos e manipulações genéticas. Em vez destes, os agricultores utilizam, na produção biológica, diferentes técnicas que contribuem para o equilíbrio do ecossistema e para reduzir a poluição.

Claro que para si, futuro produtor, interessa sobretudo saber a perspectiva económica deste modo produtivo. Relativamente aos investimentos, pode obter benefícios acrescidos; relativamente à produção, observa-se com agrado ao aumento de consumidores interessados nestes produtos, e a designação de “nicho de mercado” para os produtos biológicos tem cada vez menos aplicação na agricultura biológica. Daqui se conclui que associado a aumentos de procura, está o aumento de preços de venda.